Considerações iniciais

A área de desenvolvimento pessoal é extremamente ampla e o meu objetivo aqui não é te dar profundos conhecimentos neste assunto, mas sim compartilhar um pouco de como eu uso esses conceitos, como eu gerencio a minha vida, as minhas prioridades, metas e tarefas. Tudo que escrevi aqui está em constante aprimoramento, pois a cada dia descubro algo novo com outras pessoas e livros.

 

Existem diversos softwares, tanto para celular quanto para computador, que têm o objetivo de te auxiliar nesta tarefa, que é o desenvolvimento pessoal. No meu caso, eu faço uma mistura de várias coisas, arquivos no computador, apps de celular, arquivos na nuvem (Internet), entre outros. Porém não é uma bagunça, todos esses itens devem estar integrados e cada recurso tem seu papel bem definido no processo de organização como um todo.

 

Minha organização

O que vem a seguir é algo pessoal e funciona bem para mim. Pode ser que para você funcione de formas diferentes e você se organize com outros tópicos, mas se até o momento você não tem nenhum tipo de gerenciamento pessoal, você pode pegar o meu como base para começar e ir além (não é lá grandes coisas, mas é melhor do que começar do zero :))

 

Definindo as áreas

 

Antes de mais nada, eu dividi a minha vida em cinco grandes áreas em um arquivo principal (top level) que no meu caso chamo de planejamento_geral:

         

          1 – Família

          2 – Espiritualidade

          3 – Saúde

          4 – Trabalho

          5 – Lazer

 

Tudo começa aqui quando você define quais são as áreas da sua vida. Pode ser que para você essas áreas sejam completamente diferentes da minha, isso depende da forma como você vê e vive a sua vida.

 

Se você deseja começar a organizar a sua vida do zero, aqui é o começo. Abra agora um documento no seu computador ou no celular para você começar a se organizar. Pode ser um documento no word, writer, google docs, apps de celular, o que você preferir. Agora no início tanto faz que tipo de recurso você usará, porém lá na frente, veremos algumas ferramentas que nos ajudam com isso.

 

É EXTREMAMENTE importante escrever e anotar tudo. O nosso planejamento de vida deve ser por escrito e, quanto mais organizado, melhor. Se você não tem o costume de escrever e se organizar, não tem problema, para tudo na vida tem a primeira vez. O grande problema é que muitas pessoas acham que não é necessário escrever, que é bobeira, que está tudo na cabeça. Quando você pesquisar mais sobre o assunto você, verá que todos falarão da importância de estar tudo no papel (ou na tela). Acredite em mim!

 

A ideia desse primeiro passo é definir quais são as áreas básicas da sua vida, de forma que qualquer coisa que você faça esteja sempre debaixo de uma área dessas. Por exemplo, se estou praticando uma corrida, estou exercendo uma atividade da área 3 (saúde). Se estou fazendo uma dieta e reeducando a minha alimentação, continuo na área 3. Se estou vendo um filme, essa atividade está na área 5 (lazer). Se estou ajudando uma pessoa que precisa da minha ajuda, no meu caso é a área 2 (espiritualidade). Se eu decidir fazer uma surpresa para minha noiva ou comprar algum presente para os meus pais, estou na área 1 (família). Entendeu a ideia? Qualquer coisa que você faça deve estar ligada a uma área. Se você faz muitas coisas que aparentemente não estão ligadas a nenhuma área é porque a sua base ainda está incompleta. Você precisa pensar e meditar nas suas tarefas para reuni-las em categorias ou áreas básicas.

 

É evidente que isso é algo muito subjetivo, por exemplo: para algumas pessoas a atividade física será uma tarefa relacionada ao lazer, já para outras, que fazem atividade somente por obrigação, será uma tarefa relacionada à saúde. Pode ser também que uma mesma tarefa se encaixe em mais de uma área. Cabe a você decidir onde encaixar essa tarefa, em uma ou mais áreas.

 

Essa etapa de definir suas áreas base é muito importante, pois os passos a seguir necessitam deste. Tome cuidado para não ser muito específico nessa parte, a ideia é encontrar áreas genéricas que serão mães de outras áreas um pouco mais específicas.

 

Subdividindo as áreas

 

Feita essa primeira etapa, vamos expandir cada área, sendo um pouco mais específico. Segue um exemplo:

 

 

1 - Família:

     1.1 Casamento

     1.2 Filhos

     1.3 Pais e familiares

     1.4 Amigos

 

2 – Espiritualidade:

     2.1 Igreja

     2.2 Projetos sociais

     2.3 Estudos da minha religião

     2.4 Aproximação com Deus

     2.5 Projeto pessoais que ajudem ao próximo

 

3 - Trabalho:

     3.1 Aulas

     3.2 Projetos

     3.3 Orientações

     3.4 Publicações

     3.5 Aperfeiçoamento e estudo

 

4 - Saúde:

     4.1 Alimentação

     4.2 Sono

     4.3 Esportes

     4.4 Médicos e consultas

 

5 - Lazer:

     5.1 Música

     5.2 Filmes e séries

     5.3 Livros

     5.4 Jogos

     5.5 Empreendimentos

     5.6 Viagens

     5.7 Estudos

Como se trata somente de um exemplo incompleto, você perceberá que falta muita coisa ou que algumas são completamente desnecessárias para você. Isso porque só você sabe o que é importante e o que vai ter em cada área (inclusive quais áreas vão existir). Pegue esse exemplo e faça o seu. Pegue cada área que você pensou e coloque lá subáreas de seu agrado. Só tenha cuidado para não ser específico demais nas tarefas, pois trata-se somente de uma subárea e não de tarefas finais. Caso contrário você teria muitas subáreas nesse nível e a coisa vai começar a ficar desorganizada. A ideia é estruturar tudo como uma árvore, partindo do caule, galhos até folhas (atividades finais).

 

 

O nível que você irá ramificar isso depende de você, no quão específico ou genérico você quer ser nas suas tarefas. Note que o item “estudo” está em várias áreas pois, dentro de espiritualidade estudo questões acerca dessa área, dentro de trabalho são estudos de livros técnicos relacionados com as disciplinas que ministro aula, e o estudo na parte de lazer são assuntos que estudo por curiosidade, como por exemplo, astronomia, música, etc. Então você pode se organizar da mesma forma se quiser.

 

Dentro de Igreja, por exemplo, estarão as questões relacionadas à sua atuação na igreja e suas responsabilidades. Vamos supor que na sua igreja você ajude com as crianças e também toque um instrumento. Então dentro da parte de igreja você terá pelo menos duas ramificações, uma relacionada ao seu trabalho de cuidar das crianças e outra relacionada a música.

 

Depois de definir as subáreas, eu começo a especificar tarefas, metas, objetivos, etc, de cada subárea dessa. Sei que parece dar muito trabalho fazer isso, mas é algo que você pode fazer devagar e com o tempo, não precisa virar a madrugada. Isso é algo que não termina, pelo menos para mim, pois cada dia eu decido acrescentar, tirar ou mudar alguma coisa para melhorar essa organização.

 

Você também pode fazer um arquivo separado para gerenciar cada área caso fique grande ou confuso em um só arquivo. Isso pode ser feito de inúmeras formas diferentes. O importante é a ideia de gerenciar tudo (ou o máximo que puder), mesmo aquilo que você julgue desnecessário.

 

Note que o item 3 (trabalho) é algo muito volátil e dependerá do que você trabalha. Como sou professor, julgo que aqueles itens me atendem. Existem outras subáreas, porém coloquei aquelas somente como exemplo. Você vai pegar a realidade do seu trabalho e estruturar o máximo que você puder de forma conceitual, indo do mais genérico até o mais específico. Isso até nos ajuda a entender melhor o que fazemos e tudo que precisamos dar conta. No meu caso, dentro de projetos, por exemplo, a ramificação continua com o gerenciamento de cada projeto, dos bolsistas, dos recursos, gerenciamento do tempo, etc. Aí começamos a entrar em outro assunto que é o Gerenciamento de Projetos. Não coloquei ali, pois iria ficar muito extenso e você já entendeu a ideia :)

 

É muito importante que você seja preciso nessa estruturação para que tudo funcione. Por exemplo, se eu fosse um advogado e na minha área 3 eu colocasse a subárea “advogar”, eu estaria sendo genérico demais e de nada iria adiantar. É preciso refletir e pensar em tudo que está relacionada àquela área e estruturar tudo em tópicos, indo do mais genérico até o mais específico, como já foi mencionado.

Terminada essa segunda parte, agora você pode começar a definir tarefas finais (folhas) ou continuar ramificando ao seu agrado. Certas áreas podem ter mais ramificações que outras, só dependem de como você vai estruturar.

É claro que dependendo da subárea, ela será algo grande demais para você colocar tudo aqui nesse arquivo. O que eu faço é que quando a área/subárea/tarefa é algo muito grande e complexo, ela ganha um novo arquivo onde tratarei somente aquele assunto. Casamento, filhos e projetos sociais são exemplos disso. Manter um casamento bem sucedido dá trabalho e requer muito força de vontade, livros, tarefas e conhecimento. O mesmo se aplica à criação dos filhos e manter projetos sociais. São coisas que não se resumem a meia dúzia de tarefas, mas requerem planejamento específico. Então, nestes casos, não precisa necessariamente, estar tudo nesse mesmo arquivo, o objetivo dele é somente estruturar de uma forma genérica (ou nem tanto) tudo que fazemos, para termos um norte.

Quando o assunto é complexo, eu coloco nesse arquivo somente as coisas principais e mais importantes que eu tenho que estar sempre olhando.

Geralmente só vou até o nível 3 de ramificação. A partir deste último exemplo, já começo a colocar coisas mais palpáveis.

Segue um exemplo de como seria subdividir um pouco mais a nossa árvore de áreas/tarefas:

 

4.1 Alimentação

      Dieta (elaborar um arquivo sobre dieta com informações sobre cada alimento)

      Livros: Ler Regras da Comida (Michael Pollan)

      Aprender a cozinhar

      Pesquisar vitaminas e produtos que façam bem ao organismo

 

4.3 Esportes

      Projeto volta ao mundo: Somar corrida, caminhada e bicicleta

      Correr duas vezes por semana

      Fazer sessões de abdominais

      Comprar uma bicicleta para pedalar e fazer trilha

      Acompanhar peso e massa muscular (criar uma tabela)

      Aprender sobre primeiros socorros e situações de emergência

Dei somente dois exemplos de como seria a parte de alimentação e esporte, porém isso deverá ser feito para cada subárea dentro de todas as áreas.

 

Mesmo organizando as coisas dessa forma ainda tem muita coisa que não está ali, que você pode acrescentar ou mesmo fazer de forma separada, porém cuidado para que não fique muita coisa solta e perdida.

 

No meu caso, dois exemplos de coisas que eu faço separado, que não necessariamente está dentro de uma daquelas áreas, é uma planilha de leitura onde contabilizo todos os livros que já li, e também um arquivo de gerenciamento do meu carro (pois quem tem carro sabe que não é só colocar gasolina, tem muita coisa pra fazer!!)

 

A questão do carro, ele não está dentro daquele esquema acima pois o carro não está dentro de nenhuma área daquela, é uma exceção (não pode haver muitas). E a questão dos livros é simples: eu leio livro de todas aquelas áreas, então leitura não está dentro de uma área específica. Eu leio livros para o meu trabalho (área trabalho), leio livros cristãos (área espiritualidade), lei livros sobre alimentação (área saúde), leio livros de lazer (que no meu caso pode ser ficção científica por exemplo), e por aí vai. Geralmente estou lendo 5 livros por vez um de cada área, e fazendo esse controle eu tomo cuidado para eu não acabar lendo só livros de lazer e não aprenda sobre as outras áreas. Repito, isso tudo que estou falando é extremamente pessoal, você pode ajeitar e adaptar tudo da forma que você quiser, o importante é se organizar. Não existe uma forma certa de fazer isso, existe a sua.

 

No caso da leitura, eu fiz um anexo no final desse arquivo geral chamado planejamento_geral onde eu coloco o mês e o ano que finalizei o livro, o título, o autor e a quantidade de páginas e de qual área ele faz parte. Com isso, no final do ano eu posso saber como foi a minha leitura durante o ano, quantos livros, páginas, áreas, fazer estatísticas, etc. Aí eu vejo se estou lendo pouco ou muito ou se estou dando mais atenção a determinadas áreas em detrimento de outras. Eu falo isso pois eu acredito que deva existir um equilíbrio, uma harmonia na divisão do meu tempo e da minha leitura. Não só trabalho, não só lazer, etc.

 

No meu computador tudo é organizado por essas áreas com pastas e subpastas. Por exemplo, eu gosto de estudar guitarra, então tudo que eu tenho sobre guitarra estará dentro da pasta Guitarra, dentro da pasta Música dentro da pasta Lazer. (organização simples)

 

Esse esquema é recursivo. Como assim? Nesse arquivo chamado guitarra, começará tudo de novo. As áreas básicas do estudo de guitarra, as subdivisões, os exercícios, as tarefas, todo o gerenciamento do estudo de guitarra. É claro que não precisamos ficar reinventando a roda. Existem muitos materiais e apostilas excelentes sobre esse assunto. Porém eu sempre acho que fica faltando alguma coisa ou que não está organizado da forma que eu queria. Então eu pego diversos materiais e compilo em uma só apostila exatamente do jeito que eu quero com os conteúdos que preciso, ficando assim um material personalizado exatamente para atender às minhas necessidades.

 

Anotações

Além de toda essa organização com arquivos, pastas, conceitos, aplicativos, etc, outra coisa que eu acho muito válido é anotar tudo (ou quase tudo) que aprendemos sobre determinado assunto. Como assim?

 

Depois de anos e anos praticando a leitura como normalmente fazemos, percebi que a seguinte situação acontecia comigo (pode não ser o seu caso): Anos depois de eu ler um livro qualquer, eu mal lembrava do que o livro falava. Tente lembrar aí de um livro que você leu a muitos anos atrás… muitos deles você nem lembra sequer o título e o autor, quanto mais o que estava escrito nele. Claro que as vezes você lembra de algumas coisas, ou da ideia central, porém a maior parte é esquecida. Será que é assim mesmo que tem que ser? Perdemos horas/dias/meses lendo um livro que daqui a algum tempo boa parte de toda essa informação será esquecida? É claro que não podemos guardar tudo que lemos, vimos, escutamos e sentimos todos os dias, porém podemos ser um pouco mais eficientes guardando aquilo que queremos.

 

Para tentar lutar contra essa perda de informação eu busquei livros e artigos sobre memória e não vou entrar aqui em detalhes científicos, mas no final o que funcionou para mim é fazer um resumo dos livros que leio para posteriormente ler esse resumo. Eu comecei a fazer isso em mais ou menos 2011, então de 2011 para cá eu fiz anotações de cada livro que eu li e periodicamente eu dou uma lida nessas anotações, e digo o seguinte: funciona. Dessa forma, através de uma certa repetição, nós transferimos as informações importantes de uma certa área do cérebro, que em termos de informática seria mais ou menos uma memória volátil (memória “RAM” do cérebro), e a colocamos em uma memória de mais longo prazo (o “HD” do cérebro). Só que ao invés de ter o trabalho de fazer isso com o livro todo eu só leio minhas anotações que é tudo que eu achei de mais essencial e de importante naquele livro. Até porque você sabe aquilo que você já sabe e aquilo que você está aprendendo de novo. Por que colocar na sua anotação algo que você já saiba? Então geralmente é interessante só anotar aquilo que for importante e aquilo que você não sabia. Assim ficará simples, direto e resumido. No meu caso as minhas anotações dão mais ou menos uma proporção de 15%, ou seja, um livro de 200 páginas dá cerca de 30 páginas de anotações, mas é claro que dependendo do livro isso pode variar bastante.

 

Como o nosso cérebro é uma grande rede interconectada de neurônios (rede neural), na medida em que vou lendo minhas anotações, essas informações vão trazendo outras conectadas a elas e no final é como se grande parte do livro voltasse a mente mesmo lendo somente as anotações.

 

Então feito isso, periodicamente eu leio minhas anotações e consigo relembrar grande parte do conhecimento que obtive com aquele livro numa fração de tempo muito mais rápida do que se eu tivesse que ler o livro todo de novo. E depois de uma certa quantidade de repetições, nem mesmo as anotações precisarão ser lidas pois tudo estará na sua cabeça. Em preparação para concursos isso é essencial.

 

Algumas pessoas podem pensar: “Boa ideia, mas dá muito trabalho. Posso pegar um atalho baixando os resumos ou anotações de outras pessoas de cada livro para não precisar escrever e anotar tudo isso.” Você pode até fazer isso, só que o grande segredo dessa questão é você mesmo estar escrevendo, da sua forma, do seu modo de pensar, e aquilo que VOCÊ achou mais interessante. Isso é que faz toda a diferença. Esse exercício e processo de escrita é extremamente importante para a memória. A sua memória guarda muito mais aquilo que você leu e escreveu do que aquilo que você somente leu. Isso que estou falando aqui não é somente a minha opinião, basta você dar uma pesquisada sobre o assunto, ler alguns livros, alguns artigos, testar e ver que dá certo.

 

Esse esquema de anotações é só com livro? Não! Pode ser com qualquer coisa e você pode organizar de qualquer forma. Por exemplo: eu tenho um arquivo para cada livro resumido. Mas se eu ler vários livros sobre o mesmo assunto eu continuo com os arquivos separados porém mantenho um outro que é uma compilação de todo o conhecimento que já li sobre aquele assunto. Nessa compilação as informações podem ser de um site, um livro, um artigo, uma palestra, uma aula, uma pessoa, ou até mesmo por experiências próprias. Isso que faz esse sistema de anotação ser interessante. Por exemplo, vamos supor que você leu 15 livros sobre alimentação e fez anotações sobre cada um deles e depois compilou toda a informação dos 15 livros um ou outro arquivo junto com mais informações adquiridas em palestras, cursos, experiências próprias, etc. O que acontece é que esse arquivo é único no mundo, nenhum lugar no mundo tem essas anotações de todas essas fontes diferentes e o seu ponto de vista sobre todo esse conhecimento e a sua forma de compilar todo esse conhecimento aprendido de uma forma coerente e não repetitiva. Isso não teria em nenhuma livraria do mundo.

 

Quando falo de compilar anotações não é somente dar um Ctrl+C em um e Ctrl+V no outro. É preciso ver o que tem de diferente, em como uma anotação complementa a outra de forma que o assunto não fique repetido, pois se você consultou muito livros, palestras, etc, relacionado a um mesmo assunto, provavelmente eles terão muita coisa repetida. Então essa compilação é pegar o que é mais relevante e inédito de cada um e reunir em um só de forma organizada e coerente.

 

A organização de todo esse esquema de anotações é muito parecido com o esquema de áreas que acabamos de falar. Eu tenho uma hierarquia muito parecida com aquela só sobre as anotações. Não vou colocá-la aqui pois estou precisando dar um upgrade.

 

A ideia é essa, temos que ler muito, mas não só ler, temos que lembrar depois :) e essa é a forma que faço. Não é a única, porém é o que funciona para mim até o momento. Como não dei muitos detalhes de como exatamente eu organizo essa montanha de anotações, fica aí um desafio para você.. depois me conta como você fez.

 

 

Apps e softwares

Para começar do zero, no momento em que escrevo isso, o sistema do meu notebook é o linux, mais especificamente o Linux Mint. O sistema do meu celular é o Android. Quase todos os meus apps e programas são gratuitos. Logo, não iremos piratear nada :). Meu objetivo aqui não é ensinar como os programas funcionam, é somente informar alguns que eu utilizo e para que serve. Caso você se interesse pesquise mais sobre eles.

 

Dropbox

 

No meu computador uso o dropbox para os meus arquivos de organização e anotações, dessa forma em qualquer computador que eu esteja logado no dropbox eu tenho acesso à todos os meus arquivos. Isso, além de ser prático quando você usa mais de um computador, é também uma forma de fazer bakcup automático pois mesmo que eu perca tudo nos meus computadores ou seja roubado, meus arquivos estarão na nuvem.

 

Outra facilidade é que quando formato o meu notebook eu não preciso me preocupar em copiar o backup para ele, basta instalar e logar no dropbox que ele baixará tudo automaticamente da Internet. Existem vários programas no mercado que tem o mesmo objetivo, o dropbox não é o melhor deles mas atende às minhas necessidades.

 

Algo muito importante para mim com esse tipo de programa é ter acesso aos arquivos do meu computador através do meu celular.

 

LibreOfficce

 

Para os arquivos de texto, planilhas e apresentações eu uso o libreoffice que já vem instalado na minha versão do linux. Sou adepto à utilização de software livre e os defendo o máximo que posso, porém tenho que confessar que acho o office da microsoft melhor que o libreoffice. De qualquer forma, como utilizo o linux e sou contra qualquer tipo de pirataria (e também não estou a fim de comprar o office) utilizo o libreoffice que atende às minhas necessidades apesar de de vez em quando dar umas bugadas.

 

Google keep

 

Uso esse programa tanto no notebook quando no celular e tudo é sincronizado automaticamente na presença da Internet. Trata-se de um simples programa de listas e notas. Uso esse programa para coisas do dia-a-dia como lista de compras e tarefas. Nele eu tenho 6 listas, uma para cada área (família, espiritualidade, saúde, trabalho, lazer e outros). Cada área dessa nesse aplicativo eu associo a uma cor e tudo fica ainda mais fácil. Toda vez que surge algo que eu tenha que fazer em alguma área dessas que eu não posso fazer nesse exato momento e que eu não possa esquecer, então eu anoto ali. Como é um aplicativo que também está no meu celular, a qualquer momento eu posso acrescentar ou consultar tudo que preciso fazer em cada área. Tudo que coloco no celular aparece no computador e vice-versa.

 

Google agenda

 

Esse é um dos mais importantes e não me vejo mais sem ele. Se trata de uma simples agenda que é integrada com o gmail e muitos outros aplicativos da google. Pode ser acessado e gerenciado tanto do celular quanto do computador. Estão ali todas as minhas tarefas que precisam ser agendadas, desde uma consulta médica até o cumprimento da minha escala nas minhas responsabilidades na igreja. Você cadastra o dia e a hora, e o app te avisa dos seus compromissos com avisos no celular e também por e-mail. Os recursos são inúmeros.

 

Eu o utilizo não só para compromissos que ocorrem uma vez só (como ir a um casamento), mas também o utilizo para me dar lembretes semanais/mensais/anuais de coisas que eu tenho que estar sempre revendo como por exemplo o carro. De 3 em 3 meses o google me lembra de estar verificando vários itens do meu carro como por exemplo verificar óleo, pneus, água do radiador e essas coisas. Para gerenciamento do carro existem vários apps específicos mas por enquanto fazer dessa forma atende às minhas necessidades, até porque eu tenho um arquivo de gerenciamento separado só para o carro com o histórico de revisões, troca de peças, mecânicos, próxima troca de óleo, quilometragem dos pneus, essas coisas.

 

 

MoneyWise

 

Esse aplicativo também é extremamente importante. Se trata de um aplicativo para gerenciamento financeiro, mais especificamente para contabilizar os ganhos e os gastos mensais. É um aplicativo simples, porém me atende no que preciso. Se por acaso este não lhe atender basta uma rápida pesquisa que você achará dezenas de outros aplicativos que fazem isso.

 

O aplicativo possui várias subdivisões de gastos e com ele eu posso saber exatamente para onde está indo o meu dinheiro. Existem diversos filtros e você pode saber coisas como quanto de alimentação você gastou no ano, quanto gastou de gasolina em um intervalo de tempo, qual o seu gasto total, em qual mês gastou mais e porque, etc. No final, as estatísticas geradas me ajudam a ver se estou gastando dinheiro com bom senso e em que preciso melhorar quando o assunto é finanças.

 

TED Ideas Worth Spreading

 

É o app de uma instituição sem fins lucrativos que distribui gratuitamente palestras dos mais variados assuntos. São pessoas muito inteligentes nos ensinando coisas super interessantes em palestras brilhantes de tirar o fôlego. Vale a pena conferir o site e o aplicativo.

https://www.ted.com/

 

Utilizo muitos outros aplicativos que com o tempo vou colocar aqui.

 

Desenvolvimento pessoal

Se eu fosse resumir o que é desenvolvimento pessoal em poucas palavras, eu diria que é um conjunto de estratégias que nos ajudam a melhorar em tudo que fazemos. É crescer como pessoa, é ajustar a nossa vida para que ela esteja onde queremos, é seguir pelo caminho que nascemos para seguir, é estar cumprindo o nosso propósito de vida.. Exagero? Pode ser! Porém Desenvolvimento pessoal é no mínimo uma ferramenta ou caminho para tudo isso.

 

Assista esse pequeno vídeo para começarmos a montar esse quebra-cabeça:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Seguir pelo caminho do desenvolvimento pessoal nos traz inúmeras coisas, porém a que mais se destaca é uma melhor qualidade de vida. Não mais dinheiro!!! Digo dessa forma porque infelizmente, muitas pessoas confundem poder aquisitivo com felicidade e qualidade de vida, porém cedo ou tarde (muitas vezes tarde), descobrem a verdade, que são coisas muito diferentes. Não estou dizendo que o desenvolvimento pessoal não lhe ajudará em seu trabalho, por exemplo, fazendo você ser mais eficiente e, consequentemente lhe rendendo mais dindim. Isso acontece também :)

 

O DP (desenvolvimento pessoal), integra conceitos, conhecimentos, técnicas e recursos que envolvem o desenvolvimento do potencial humano. Só para termos uma ideia, cito aqui alguns poucos exemplos das muitas áreas que o DP trabalha:

 

  • gerenciamento do tempo;

  • auto-conhecimento;

  • educação financeira;

  • empreendedorismo;

  • motivação;

  • liderança;

  • qualidade de vida;

  • relacionamento humano.

 

Como já falei, meu objetivo aqui não é lhe ensinar sobre DP, mas sim compartilhar como eu uso tudo isso. Desafio você a neste momento, ou em outro oportuno, pesquisar um pouco mais sobre desenvolvimento pessoal na internet, ver alguns vídeos, ler alguns artigos e entrar um pouco nesse mundo.

 

Reforço que o objetivo desta parte é compartilhar ideias que penso serem importantes para o crescimento pessoal em todas as áreas da nossa vida, nos dando mais qualidade de vida e nos colocando mais próximos do propósito da nossa existência.

 

Conclusão

É interessante lhe informar que o que fizemos aqui foi uma forma simples de se organizar através de arquivos de texto porém existem diversos softwares tanto para celular quanto para computador que tem o objetivo de te auxiliar nesta tarefa que é o desenvolvimento e a organização pessoal. Entretanto, acho interessante essa etapa em que fazemos tudo na unha mesmo para que depois nós possamos tirar muito proveito dos recursos dos diversos programas e aplicativos. Mas quem quiser pular essa parte, pra que ficar reinventando a roda não é?!

 

O que acontece quando você tem toda essa informação estruturada e organizada? Isso ajuda em várias coisas:

 

  • ajuda a priorizar o que é mais importante para você;

  • ajuda a perceber quais áreas ou tarefas você precisa dedicar mais tempo;

  • ajuda a ficar despreocupado pois não estará se esquecendo de nada nem ninguém;

  • se você é uma pessoa ansiosa isso o ajudará a ter melhores momentos de lazer pois você vai ficar tranquilo que tudo está em ordem, deixando a sua cabeça mais vazia para curtir os momentos de lazer.

  • Para quem tem problemas de memória ou é só esquecido mesmo, isso ajudará a manter tudo organizado e não depender da boa vontade do seu cérebro para lembrar de tudo que tem que fazer;

  • Ajuda a gerenciar melhor o tempo.

 

Para algumas pessoas pode até parecer bobo ou até mesmo desnecessário colocar tudo isso estruturado em um arquivo ou software, pois você acha que dá conta de tudo na sua cabeça ou que isso é perda de tempo. Eu desafio você a fazer isso com bastante empenho e duvido que isso não lhe fará diferença de alguma forma. Depois que você se organizar, não será somente bom pelos itens que acabei de mencionar nos parágrafos anteriores, mas até mesmo enquanto você está organizando isso (mesmo antes de terminar), só no fato de você parar pra pensar em tudo que você faz na sua vida e qual fatia de tempo você dá para cada coisa, já é uma reflexão muito positiva de autoconhecimento onde você vai ver de fato se o seu “eu” de hoje é aquele que você queria ser há anos atrás.

 

É possível que você tenha alguns picos de organização, onde em alguns meses você é mais organizado e outros nem tanto. Mas mesmo que você fique meses sem olhar para esse arquivo ele estará lá. Depois de um tempo você olhará para ele de novo e verá o quanto sua vida e suas prioridades mudaram nesse tempo. Isso também serve como uma âncora para sempre estarmos corrigindo o curso da nossa vida e objetivos. Pois infelizmente, na maioria das vezes, nossa tendência é darmos prioridade e tempo às coisas erradas.

 

 

finalizando...

 

Espero que com esse breve e simples compartilhamento, eu tenha sido de alguma forma útil no start do seu planejamento de vida. Porém o objetivo final não é somente esse. É que através disso tudo, você reflita e saiba quais são as verdadeiras prioridades na sua vida e, caso você não esteja se dedicando a elas, ainda dá tempo de mudar. Como? Com planejamento. A maioria das pessoas passa quase 100% do tempo somente executando tarefas diariamente e não param para planejar nada. É incrível o que conseguimos fazer quando planejamos.

 

Não adianta se frustrar achando que do dia para noite tudo vai mudar e que nunca mais você sairá do trilho. Fatalmente uma hora sairemos do caminho, porém temos que estar sempre corrigindo o nosso curso, passando por cima das nossas falhas e limitações, através de um processo contínuo chamado vida.

 

Não deixe as coisas só na sua cabeça, escreva!

 

Um dia será lido, nem que seja por você mesmo :)

 

 
 
 
 
 
 
  • Preto Ícone Tidal
  • Preto Ícone Instagram
  • Preto Ícone Twitter
  • Black YouTube Icon
  • Black Facebook Icon
  • 95a271_380cdac993cd06aadbd418c690c5a802
  • 3722
  • lattes